fainor fainor Visualizar

MORTES NA ESTRADA | Responsável pelo ônibus envolvido em acidente será indiciado pela polícia

Conforme a polícia, o caso ocorreu por volta das 23h30, depois que a van bateu no fundo do ônibus. — Foto: Redes Sociais

O responsável pelo ônibus envolvido no acidente que causou a morte de quatro jovens, na BA 265, estrada que liga a BR-116 a Belo Campo, no sudoeste da Bahia, na noite de sábado, 15, deverá ser indiciado pela polícia.

Os ocupantes da van, guiada por Manoel Amorim dos Santos, que saíram de Anagé, onde moravam, seguiam para a cidade de Belo Campo, para participar de um festa em Belo Campo.

Resultado de imagem para ba 265

O veículo estava parado na pista, sendo atingido por uma van, onde estavam as vítimas do acidente fatal. O dono do ônibus, cujo nome ainda não foi informado, responderá por crime de trânsito, já que o veículo estava parado irregularmente na pista e sem a devida sinalização.

Estacionar em acostamento é proibido e considerado infração gravíssima, mas, a qualquer hora, é possível flagrar os veículos estacionados na pista ou no acostamento das rodovias estaduais e federais da Bahia. Além de multa, o veículo pode ser apreendido.

Conforme a Polícia Rodoviária Estadual (PRE), o caso ocorreu por volta das 20 horas, depois que a van bateu no fundo do ônibus. Não há detalhes oficiais, no entanto, sobre as circunstâncias que motivaram a batida. As investigações estão em curso.

Resultado de imagem para ba 265

Três pessoas morreram no local, e uma quarta ao dar entrada em uma unidade de saúde. Eles foram identificados como Irani dos Santos Libarino, 48 anos, Gislene Prado Portugal, 17 anos, Milena da Silva Campos, 16 anos e Nariely Sousa do Prado, 23 anos. Os corpos foram encaminhados para o Departamento de Polícia Técnica (DPT) da região.

Já os dez feridos foram atendidos e encaminhados para o Hospital de Belo Campo e também para uma unidade hospitalar de Vitória da Conquista, cidade da mesma região. Não há detalhes sobre o estado de saúde dessas pessoas.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF), por meio do Núcleo de Comunicação Social, informou que flagra constantemente veículos transitando ou estacionados nos acostamentos das rodovias. Esse tipo de atitude pode gerar riscos para todos os usuários da via. Alguns condutores não têm consciência dos transtornos e perigos que esse comportamento pode gerar.

No Brasil, em feriados ou datas festivas, a exemplo da data em que ocorreu o acidente com quatro vítimas fatais e outras 10 feridas, as rodovias têm um fluxo intenso de veículos. Os acostamentos devem ser utilizados somente em casos de emergência ou para problemas mecânicos, o que não era o caso do ônibus, já que sequer havia sinalização.

O veículo tem de estar devidamente sinalizado, mantendo ligado o pisca-alerta. Quando o acostamento é utilizado de maneira irregular acaba gerando perigo para os ocupantes do veículo e demais usuários da via, que em caso de emergência não terão para onde desviar nem aonde parar, além do risco de atropelamento de pedestres que eventualmente estejam se utilizando desta faixa.

O veículo flagrado trafegando pelo acostamento é autuado por infração gravíssima que corresponde a R$ 574,00 e em caso de ultrapassagem pelo acostamento o valor da multa é de R$ 957,00, podendo chegar a R$ 1.915,00, caso ocorra reincidência dentro do período de até de doze meses. Em ambos os casos o condutor perde 7 pontos na CNH.

Com o objetivo de reduzir o número de acidentes, mortos e feridos nas rodovias federais de todo o País, a PRF trabalha diuturnamente na fiscalização de trânsito e também realiza ações educativas com o fim de prevenir e coibir ações desse tipo.

Postar um comentário

1 Comentários

  1. E quando o governo não faz o acostamento ele não deveria responder também pelas tragédias? levante essa discussão por favor.

    ResponderExcluir

Política de moderação de comentários:

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.