novo horizonte fainor Visualizar

CASO TYRONE | Direção do Conjunto Penal não explica agresão de detentos contra "Tyrone do Jegue"


Ao contrário do que prometeu à imprensa, a direção do Conjunto Penal de Vitória da Conquista (CPVC), por meio da assessoria jurídica, não apresentou a versão dos fatos para uma denúncia de agressão que teve como vítima o cabeleireiro João Carlos dos Santos Lima, 48 anos, mais conhecido por "Tyrone do Jegue".

De acordo com fontes ligadas a ele e de pessoas ligadas ao CPVC, após ter sido agredido por outro detento, "Tyrone" foi socorrido às pressas e encaminhado à Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Uma pessoa que se identificou como filho dele, no entanto, garante que a integridade do pai está mantida e que não houve espancamento.

Em contato com o Sudoeste Digital, o rapaz garante não ter havido nada e que a família estaria preocupada com a integridade dele. A advogada do CPVC, Maria de Lourdes Carvalho, informou que as informações sobre agressões não traduziam a realidade dos fatos como realmente aconteceram.

Por menagem de aplicativo, ela garantiu que seria remetida uma nota oficial da unidade detalhando a veracidade do ocorrido. Foi combinado para até o final da manhã desta quinta-feira, 15, o que não ocorreu. A Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) também não se manifestou.



Preso desde o dia 18 de julho passado, por extorsão e associação para o tráfico, de acordo com a polícia, ele recebeu voz de prisão no momento em que recebia de um pai de um usuário de substância entorpecente  o  valor de R$ 10.200,00, exigido ilegalmente mediante grave ameaça. O valor seria o pagamento de uma suposta dívida de drogas. "Tyrone", que tentou candidatura a vereador pelo PHS nas últimas eleições municipais em 2016, teve o pedido indeferido.

[Preso é encontrado morto em presídio de Vitória da Conquista]

Desde que foi inaugurado, o CPVC tem protagonizado cenas de violências, com mortes, a exemplo da ocorrida em 16 de julho deste ano, quando um detento foi encontrado morto numa cela.  João Carlos foi encontrado morto dentro do pavilhão 1 Galeria A cela 13. Nesta sexta-feira, 16, mais uma morte foi registrada no mesmo presídio. A direção da unidade não se manifestou.

O Conjunto Penal de Vitória da Conquista tem capacidade para 750 detentos, mas comporta atualmente 940 presos.

ATUALIZADO ÀS 18H14

A direção do presídio Nilton Gonçalves informou em nota divulgada nesta sexta-feira (16) que o interno João Carlos dos Santos Lima, conhecido como “Tyrone do Jegue”, que está preso em virtude de acusações de extorsão criminosa e associação para o tráfico não foi agredido, tampouco espancado na unidade.
A nota informa que o que aconteceu de fato foi um desentendimento entre Tayrone do Jegue e um outra interno durante um banho de sol. Contudo, apesar de dois terem brigado fisicamente, ninguém ficou realmente ferido. Na ocasião, Tayrone afirmou não querer presar queixa contra o interno. Ele também foi levado ao Departamento de Polícia Técnica, onde passou por exame de corpo de delito, no qual não foi identificada lesões em seu corpo.

Postar um comentário

0 Comentários