PREVISÃO DO TEMPO

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

DTE apreende aves e maconha em Conquista; infrator foi preso em flagrante


A Polícia Civil, através da equipe da DTE,  após investigações, efetuou, na tarde desta quarta-feira, 16, a apreensão de uma grande quantidade de pássaros silvestres de várias espécies, dentre elas estevão, periquito,  azulão,  cardeal,  papa-capim,  coleirinha, custipiu, canário , tiziu, pássaro-preto e sabiá.


Os policiais também apreenderam maconha prensada e plantada no interior da casa de Renato Alves dos Santos, 46 anos. O imóvel é localizado no Bairro Bruno Bacelar. O acusado foi conduzido e interrogado na DTE,  onde confessou o crime ambiental e o uso de maconha.

Fonte:  DTE/DRACO - CONQUISTA

CIPE Sudoeste intervém na rebelião em Poções; amotinados fizeram reféns dois acusados de estupro


Imagens: redes sociais
Fim da rebeião em Poções. Tudo começou na tarde desta quarta-feira, quando um grupo de 24 detentos rebelados na carceragem da Delegacia de Polícia Civil ameaçou degolar e atear fogo em dois outros presos acusados de estupro. A CIPE Sudoeste esteve no local e sufocou o motim.
Armados com serras, trancas de celas e objetos perfuro-cortantes, os amotinados cobriram o rosto para dificultar identificação ou liderança do grupo. Segundo fontes, os rebelados reivindicavam melhorias na infraestrutura da carceragem, qualidade na higiene e na comida servida. Um grupo negociou o fim da rebelião. Os presos devem ser transferidos para presídios da região






MP denuncia Geddel por tentar obstruir delação de Lúcio Funaro

Geddel Vieira Lima – 22/11/2016: O ex-ministro da Secretaria de Governo Geddel Vieira Lima – 22/11/2016
O ex-ministro da Secretaria de Governo Geddel Vieira Lima – 22/11/2016
Imagem: © Agência o Globo 
O Ministério Público Federal apresentou à Justiça denúncia contra o ex-ministro Geddel Vieira Lima, ex-titular da Secretaria de Governo de Michel Temer. Ele é acusado de obstruir a justiça e tentar barrar as negociações para a delação premiada do operador financeiro Lúcio Funaro.
Funaro é considerado um homem-bomba para políticos do PMDB por conhecer como poucos os meandros do funcionamento da organização criminosa que atua em esquemas ilícitos na Caixa Econômica e no Fundo de Investimento do FGTS. Ele tenta fechar um acordo de delação que promete escancarar sua atuação como operador financeiro do ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e de políticos peemedebistas em esquemas criminosos, intermediando interesses de empresas dispostas a pagar propina para ter seus interesses atendidos.
De acordo com o MP, Geddel, que sabia do poder de fogo de Funaro, atuou deliberadamente para dificultar e atrasar as investigações de crimes praticados por empresários, empregados públicos com ingerência na Caixa e no FGTS, agentes políticos e operadores financeiros. A principal estratégia de Geddel para travar as investigações, disse o Ministério Público, foi atuar para constranger Lúcio Funaro e impedir que ele fechasse um acordo de delação.
Embora não tivesse proximidade com a esposa de Funaro, Raquel Pitta, Geddel passou a telefonar recorrentemente a ela, sondando sobre a disposição do operador de revelar o que sabe às autoridades. De 1º de junho de 2016, data de prisão de Funaro, a 3 de julho de 2017, quando o próprio Geddel foi detido por ordem da justiça, as sondagens de Geddel foram frequentes. De maio a junho deste ano, foram 17 contatos telefônicos em 19 dias.
“Após a prisão [de Funaro], Raquel passou a receber insistentes ligações do denunciado, que trouxe incômodos aos envolvidos (no caso, Raquel Pitta e Lúcio Funaro) e, principalmente, o sentimento de que Geddel Quadros Vieira Lima estava monitorando-os, buscando não só saber o ânimo de Lúcio Funaro em colaborar com as investigações como também incutir a ideia de que qualquer desvio de lealdade poderia gerar consequências ao custodiado e a sua família”, disse o Ministério Público na denúncia.
Para Funaro, a ofensiva de Geddel demonstrava que ele podia causar retaliações a si e a sua família, seja por avaliar que o ex-ministro tinha grande influência no governo Temer, seja por ele ser “amigo íntimo” do atual presidente. “Embora possuísse uma amizade com Geddel Vieira Lima, e não houvesse manifestações expressas de uso de violência por parte dele ou de outra pessoa, essas ligações insistentes por parte de Geddel, provocava no declarante [Funaro] um sentimento de receio sobre algum tipo de retaliação caso viesse a fazer algum acordo de colaboração premiada, tendo em vista que Geddel era membro do 1º escalão do governo e amigo íntimo do presidente Michel Temer, e considerava possível que Geddel ou outros ligados a ele pudesse, exercer influências políticas sobre algum órgão ou até mesmo o Poder Judiciário, a fim de prejudicar o declarante, no caso de resolver firmar acordo de colaboração premiada”, diz trecho do depoimento de Lúcio Funaro às autoridades.
Geddel foi vice-presidente de Pessoa Jurídica da Caixa, cargo que tinha como atribuições analisar a liberação de empréstimos a empresas. O período em que o ex-ministro ocupou o cargo é investigado pelo Ministério Público e também coincide com a época de atuação de Funaro no banco público.

IMAGENS - Detentos rebelados ameaçam acusados de estupro em Poções

Imagens: redes sociais
Um grupo de 24 detentos rebelados na carceragem da Delegacia de Polícia Civil de Poções, a 70 Km de Vitória da Conquista, ameaça degolar e atear fogo em dois outros presos acusados de estupro. 
O motim teve início na tarde desta quarta-feira, 16. Armados com serras, trancas de celas e objetos perfuro-cortantes, eles cobriram o rosto para dificultar identificação ou liderança do grupo. Segundo fontes, os rebelados reivindicam melhorias na infraestrutura da carceragem, qualidade na higiene e na comida servida. Um grupo negocia o fim da rebelião.







PM prende 6 com armas e drogas em Conquista

O sexteto preso pela PM durante operação em Conquista
Imagem: Foto-montagem/Blitz Conquista
Polianne Nunnes (Sudoeste Digital) - A casa caiu para Edson Oliveira Almeida, Amanda Sampaio  Andrade, Suelen Silva Cirqueira, Rondineli Prado Oliveira, Ingrid Cruz de Carvalho (vulgo Jessica) e Gilmar Araújo Silva. Os seis foram presos pela PM durante uma operação na manhã desta quarta-feira, 16, no bairro Alto Maron, zona leste de Vitória da Conquista.
A polícia também apreendeu dois revólveres, munições e drogas. Inicialmente os policiais abordaram um casal que estava na Travessa São José, no mesmo bairro. Na casa onde o casal estava em frente, segundo a ocorrência, foi apreendido um revólver municiado. 
No imóvel, onde os militares também encontraram outro casal em atitude suspeita, estava um cofre com cerca de 30 munições,  quatro pedras de crack, balança de precisão e material para o embalo da droga.
Perguntados sobre a origem das munições, um dos suspeitos confessou que teria vendido um revólver, na noite anterior, a uma pessoa moradora do bairro Miro Cairo. A PM foi ao local informado e se deparou com uma suspeita, conhecida por Jéssica. 
No interior da casa os policiais encontraram um homem que havia escondido. Ele acabou confirmando que comprou a arma e mostrou o revólver escondido no colchão em um dos quartos. Todos oram apresentados no Disep.

PF prende três por prática de crime ambiental em Cândido Sales; atividades poluíam o Rio Pardo

Resultado de imagem para lavagem de couro bovino em rio

Três pessoas foram presas pela Polícia Federal durante a Operação Dark Water (Água Escura, em tradução livre), na manhã desta quarta-feira, 16, no município baiano de Cândido Sales, a 590 km de Salvador. A PF disse que o nome da operação é uma alusão à caraterística poluída da água após a prática dessa atividade. Os nomes não foram divulgados.

Com participação de agentes do IBAMA, a operação é resultado de uma investigação sobre atividade ilegal de lançamento de resíduos sólidos e líquidos, sem tratamento, no Rio Pardo, que corta o município. Segundo a PF, o crime vem sendo cometido por conta da curtição de couro na região, sem autorização dos órgãos ambientais responsáveis. 

Ainda segundo a PF, além do cumprimento dos três mandados de prisão preventiva, a operação se estende a busca e apreensão, além de três medidas cautelares diversas, que visam suspender atividades de natureza econômica na região. 

SUSPEITOS FORAM ADVERTIDOS

As investigações tiveram início em janeiro deste ano, por meio da Delegacia da Polícia Federal de Vitória da Conquista. Os suspeitos vinham recebendo notificações e advertências dos órgãos desde 2008, mas continuaram incorrendo nas práticas criminosas, informou a PF. 

Nos documentos, era solicitada a realização de um Plano de Recuperação da Área, mas os responsáveis não atenderam aos pedidos. Os envolvidos serão autuados pelo crime previsto no artigo 54, inciso V, da Lei 9.605/98, referente a Crimes Ambientais. A prefeitura do município será responsável pela eliminação dos dejetos de forma adequada para que não ocorram mais prejuízos à natureza.


Celino Souza, Notícias da Polícia Federal, com informações da PF/VCA




CONQUISTA - Sem receber desde junho, servidores da Emurc deflagram greve; vales transporte e alimentação estão atrasados desde janeiro

A imagem pode conter: atividades ao ar livre

Os 157 servidores da Emurc (Empresa Municipal de Urbanização de Conquista) cruzaram os braços em protesto contra o atraso salarial, falta de vales transporte e alimentação. Desde junho eles não recebem pagamento. Os valores devidos aos funcionários já chegam a R$ 1,5 milhão. A paralisação é por tempo indeterminado.

O atraso no repasse dos vales é mais antigo. "Estamos sem os vales desde janeiro", informa um servidor. Desde que a atual gestão assumiu, mais de 70 servidores foram exonerados. "Queremos aber cadê o dinheiro da subvenção, aprovado pela Câmara de Vereadores", emendou outro. Ambos pediram anonimato.

"Votamos num projeto que se dizia novo, mas o que estamos vivenciando é a continuação do atraso", protestou. A Emurc é responsável, dentre outras atribuições, ao recapeamento e recuperação de vias públicas com asfalto, assim como a retomada das obras da avenida Perimetral, que ligará os lados oeste, sul e leste do perímetro urbano de Vitória da Conquista.. A Prefeitura ainda.não se manifestou sobre a paralisação.

SUBVENÇÃO MILIONÁRIA

Em sessão extraordinária realizada em 28 de julho, a Câmara Municipal de Vitória da Conquista aprovou, em primeira votação, o Projeto de Lei nº 008/2017, de autoria do Executivo, que autorizou o Município a conceder subvenção econômica à Emurc para manutenção das atividades da empresa.
A proposta é que a Prefeitura possa destinar até R$ 3 milhões para cada exercício financeiro de 2017 e 2018, num total de R$6 milhões. A segunda votação foi realizada dia 31. Na oportunidade, o presidente da Casa, Hermínio Oliveira, destacou que existem R$ 60 milhões de reais em obras a serem tocadas pela Emurc que necessita, de um aporte da Prefeitura Municipal para tocar suas atividades. 
“Essas obras não podem ser colocadas em prática por conta de débitos previdenciários, mas depois da conclusão deste projeto vai destravar esses recursos bloqueados na Caixa. A gente fica feliz por aprovar essa lei porque vai ser bom para a população”, disse Oliveira.
SOBRE A EMURC –  A Emurc é uma empresa pública com personalidade jurídica de direito privado, criada em 23 de novembro de 1977, por meio da Lei Municipal 134/77, com o objetivo de implantar planos urbanísticos, executar e fiscalizar serviços de caráter econômico, podendo realizá-los também nos municípios vizinhos pertencentes à região administrativa da qual Vitória da Conquista é sede.

DESTAQUE

BAHIA - Júri Popular absolve PM por homicídio ocorrido há 17 anos

O sargento da polícia militar do Estado da Bahia Robenes Ramos dos Santos foi absolvido do caso do homicídio de Fábio Pereira Correia oco...

AS 5 + LIDAS