PREVISÃO DO TEMPO

quinta-feira, 13 de julho de 2017

Geddel permanece na prisão por falta de tornozeleira

Apesar de o desembargador Ney Bello, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), autorizar o ex-ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima (PMDB) a deixar o presídio da Papuda, em Brasília, e cumprir prisão domiciliar, o peemedebista permanece na cadeia por falta de tornozeleira eletrônica no Distrito Federal. 

Em nota enviada ao G1, o governo do DF informou que não tem tornozeleiras porque o contrato para fornecimento do equipamento foi assinado recentemente. Nesta quinta-feira (13), o Ministério Público Federal (MPF) voltou a pedir a prisão do ex-ministro da Secretaria de Governo. Nota do governo do DF: A Subsecretaria do Sistema Penitenciário (Sesipe), ligada à Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social (SSP/DF) informa que recebeu a decisão proferida pela Tribunal Regional Federal da Primeira Região (TRF1) na noite desta quarta-feira (12).

Contudo, o documento condiciona a liberação de Geddel Vieira Lima ao uso de uma tornozeleira eletrônica. Como o Distrito Federal ainda não dispõe do equipamento para instalação no custodiado, uma vez que o contrato para disponibilizar serviço foi assinado recentemente, a pasta vai remeter um ofício ao TRF, que deverá decidir como será o procedimento neste caso. 

Fonte G1

FOTOS - Polícia da Bahia prende sargento envolvido em roubo no interior

O sargento Edwilson Carvalho de Sena, conhecido como Wisinho, lotado na 54ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM/Campo Formoso), foi preso na manhã desta quarta-feira (12), na cidade de Senhor do Bonfim, norte da Bahia, suspeito de chefiar uma quadrilha que roubava feirantes que circulavam pela BA-131, estrada que liga o município a Campo Formoso, cidade onde ele trabalhava e que fica 23 km do local dos crimes. 

As informações foram divulgadas pela Secretaria da Segurança Pública da Bahia (SSP-BA). A secretaria não detalhou como o PM agia, mas informou que ele ficava com o lucro dos comerciantes. 


De acordo com a SSP, o sargento foi preso em cumprimento a mandado de prisão temporária e de busca e apreensão expedido pela Justiça por roubo qualificado. A prisão dele foi feita por policiais da 19ª Coordenadoria de Polícia do Interior (Coorpin/Senhor do Bonfim), da Companhia Independente de Policiamento Especializado da Caatinga (Cipe) e da 54ª CIPM.

FLAGRANTE

Dias atrás, após um assalto a feirantes, nas imediações da linha férrea, na BA 131 entre Bonfim e Antônio Gonçalves, quando bandidos roubaram cerca de R$ 9.000,00, após o roubo as vítimas conseguiram anotar a placa do veículo utilizado no crime, e, passou as informações para a polícia investigativa, que chegou até a proprietária do veículo, que informou que seu carro estava alugado a uma locadora de veículo. Por fim se chegou até a pessoa de Edwilson que havia alugado o carro em um dia de folga.

Na manhã desta quarta-feira (12), as polícias cumpriram mandado de busca e prisão expedido pelo juiz de Campo Formoso, Francisco Pereira de Morais e prenderam o Sargento “Sena”, com o qual foi também apreendida uma arma pistola com três carregadores, com 36 munições do mesmo calibre, uma toca brucutu, um chip da Oi, R$ 2.000,00.

Foi feito buscas também na residência de familiares do sargento, sendo encontrada arma e munições. Em entrevista ao radialista Netto Maravilha, de uma rádio local, o delegado de polícia civil, Felipe Neri disse que o sargento era o mentor da organização criminosa e ele articulava e deixava os executores e depois ia busca-los.

Ainda de acordo com o delegado, não há participação de outros policiais nessa organização, os demais integrantes são bandidos comuns, e as providências estão sendo adotadas. Sargento “Sena” foi ouvido na DT/Bonfim e seguiu para Salvador, “é o sargento Sena está sendo ouvido no Complexo Policial, o inquérito está com muitas provas documentais, filmagens de câmeras, o inquérito está bem lastreado” informou o delegado.

O caso será investigado pela Corregedoria da PM e ficará no Batalhão de Choque da Polícia Militar, em Lauro de Freitas, na região metropolitana de Salvador, à disposição da Justiça.



O comando da 54ª CIPM de Campo Formoso, enviou nota para a imprensa, relatando como aconteceu a prisão e condução do Sargento Edwilson Sena, acusado de estar envolvido em assaltos realizados a feirantes na região de Antônio Gonçalves e Campo Formoso.

Confira a Nota:

Na data de ontem, o Comando da 54 CIPM foi informado através do canal próprio que existia um procedimento judicial a ser cumprido. Este procedimento judicial consistia em três etapas:
1. Prisão do Sgt PM EDWILSON SENA, acusado de ter participado de um roubo a feirantes na BA-220, onde foi subtraído a quantia de R$ 9000,00;
2. Busca e Apreensão na residência do mesmo e
3. Busca e Apreensão na residência do seu genitor (Soldado da RR Agostinho).

Diante de tal procedimento e com a determinação da SSP/BA, este Comando designou duas frações de tropa (uma comandada pelo Cap PM Gil e outra pelo Ten PM Alan), para juntamente com uma Guarnição da CIPE-Caatinga e prepostos da Polícia Civil cumprir o referido mandado.

A todo instante nossa maior preocupação foi a de que fosse cumprido o mandado, sem violar a condição de policial militar que o graduado possui.

*Chamo atenção que isso está em fase de investigação e é dado pelo ordenamento jurídico vigente o direito a ampla defesa e ao contraditório, ou seja, ninguém será condenado sem sentença transitada em julgado.

Nesta diligência foi realizada a condução do referido graduado a Delegacia, conforme mandado de prisão, onde ele foi ouvido e será encaminhado para o BPChq.

Foram encontradas na sua residência uma arma de sua propriedade, o valor em espécie de R$ 2.000,00 e um brucutu.

Na residência do seu genitor foi encontrado uma espingarda cal. 12, sendo necessário a prisão em flagrante do genitor do mesmo por posse ilegal de arma de fogo.

Isto foi o que ocorreu. O graduado foi conduzido por PM e seu estado físico e de dignidade pessoal foi respeitado conforme nosso pensamento inicial.

Pessoas estranhas a nossa Instituição, às vezes aproveitam para explorar uma situação que atinge, frontalmente, a nossa Polícia Militar, sem medir as consequências de seus atos.

Certamente, ao chegar a Corregedoria, a Delegacia estará encaminhando uma cópia de todo o mandado, onde será aberto por aquela casa correicional, o devido processo legal para que o mesmo possa exercer a sua defesa.

Tudo mais que ouvirem, longe do que fora relatado, é boataria e que não deve ser levado em conta.

O Comandante Regional a todo momento, acompanhou o cumprimento do mandado e teve a preocupação de mandar este Comandante, pessoalmente, acompanhar o policial até a sua entrega na Depol, para que o mesmo não sofresse nenhum tipo de violação, o que foi feito.

Espero que possamos mais uma vez, vencer este percalço e seguir em frente fortalecendo a nossa Instituição quase Bicentenária, de homens e mulheres de bem.

Fonte: Ascom SSP/Marcia Santana, com informações complementares de Netto Maravilha (Blog)

DE TORNOZELEIRA, GEDDEL NÃO PODERÁ USAR TELEFONE EM PRISÃO DOMICILIAR

Foto: Valter Campanato / Agência Brasil
Foto: Valter Campanato / Agência Brasil
Apesar de conceder o benefício de prisão domiciliar ao ex-ministro Geddel Vieira Lima, o desembargador Ney Bello, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1), especificou, em decisão publicada nesta quarta-feira (12), que o baiano deverá fazer uso de tornozeleira eletrônica e está proibido de utilizar telefones, além de não poder manter contato com os demais indiciados.
O ex-ministro do governo Temer (PMDB) havia sido preso em regime preventivo no dia 3, por ordem do juiz Vallisney Oliveira, da 10ª Vara Federal de Brasília. Ele é alvo de investigação da Polícia Federal por suspeita de ter pressionado a mulher do doleiro Lúcio Funaro, preso desde julho de 2016 na Operação Sépsis.
Confira o trecho do documento que diz respeito às condições estabelecidas para a "mudança" do peemedebista:
"(…) substituir a prisão preventiva pelo recolhimento domiciliar, no local da residência por ele indicado (…) mediante as seguintes condições:
a) prisão domiciliar no endereço que indicar, sem a utilização de telefones;
a.1. obrigatoriedade de acompanhar os atos processuais mantendo seu endereço atualizado nos autos;
b) proibição de manter contato, por qualquer meio de comunicação, com os demais indiciados, denunciados ou investigados e familiares dos próprios que assim o sejam em inquéritos ou processos em curso, nos quais conste como investigado;
c) uso de monitoramento eletrônico, para fiscalização do aprisionamento residencial.
Ressalto que deve o paciente observar as restrições acima, sob pena de revogação e imediato recolhimento ao estabelecimento prisional".

DESTAQUE

BAHIA - Júri Popular absolve PM por homicídio ocorrido há 17 anos

O sargento da polícia militar do Estado da Bahia Robenes Ramos dos Santos foi absolvido do caso do homicídio de Fábio Pereira Correia oco...

AS 5 + LIDAS