PREVISÃO DO TEMPO

quarta-feira, 28 de junho de 2017

CASO HELOÍSA - Hospital São Vicente diz que "não foi possível salvar a criança"



A Provedoria do Hospital São Vicente, em Vitória da Conquista, manifestou sobre a morte da criança Heloísa Quadros de Oliveira, ocorrida na noite dessa terça-feira, 27, na unidade hospitalar.
O provedor da Santa Casa, Abmael Brito, em nota publicada no Blog do Anderson, disse: “Lamento profundamente o ocorrido, porém a criança tinha uma doença cardiopata, que foi detectada em exame no hospital, o que não foi possível o seu salvamento”.
Heloísa sofreu uma parada cardíaca. Nas redes sociais, a tia da criança, Daniela Santos, fez um desabafo e cobra justiça, relatou o Blog do Rodrigo Ferraz.
“Minha sobrinha de apenas um aninho foi internada no hospital são Vicente, na parte de particular e lá a médica prescreveu um medicamento para a criança, que estava apenas gripada , que em seguida veio a óbito consequência de uma parada cardíaca provocado por um medicamento. Queremos justiça…não vamos descansar até que a justiça seja feita. Os culpados serão punidos”, desabafou.
O caso está sendo investigado pelo Departamento de Polícia Técnica, já que familiares da criança afirmam que foi erro médico. 

Câmera registra sucessão de roubos em ótica de Conquista; tudo ocorreu na madrugada do dia 24

A Polícia Civil busca identificar os responsáveis pelo arrombamento e furtos numa ótica, ocorridos na madrugada de sábado, 24, na Rua Góes Calmon, no Centro de Vitória da Conquista, relata o site Blitz Conquista. As imagens mostram o responsável pelo arrombamento, a mulher que fez o primeiro furto, rapazes que passam em frente ao estabelecimento e percebem a vitrine quebrada. Um dos rapazes resolve entrar e furtar algumas armações de óculos. Logo depois, um bebum entra na loja para usar o banheiro e tomar um cafezinho. Assista;

Sudoeste: Fábrica clandestina de bebidas que atendia cidades da região é fechada em MG; 3 são presos


Uma fábrica clandestina que distribuía bebidas falsificadas no município de Palmas de Monte Alto e em outras cidades da região sudoeste da Bahia foi fechada pela Polícia Civil de Bocaiuva, na região Norte de Minas Gerais, na tarde dessa terça­-feira (27/06) e três homens foram presos em flagrante. Segundo a corporação, o local falsificava a produção de vários tipos de bebidas alcoólicas destiladas, como cachaça e uísque, e vendia os produtos a valores bem abaixo do mercado, cerca de um terço do preço usual.

Os detidos disseram à polícia, que a produção funciona há cerca de seis meses, porém os investigadores acreditam que a fábrica clandestina funcione há mais tempo. A Polícia Civil chegou ao local, após suspeita de um caminhão, que sempre parava na porta do galpão e descarregava garrafas de vidro. Durante a apreensão da PC, os investigadores interceptaram um carregamento das bebidas que seguiria para a cidade de Pirapora, também no Norte de Minas. No galpão estavam vários toneis e caixas d’água, usados para misturar solventes, aditivos e aromatizantes, usados para chegar próximo ao sabor das bebidas.


Além das bebidas, de rótulos nacionais e importados, a PC encontrou selos de inspeção falsos. A PC acredita que os autores faziam venda dos produtos para 129 cidades nos estados de Minas Gerais e Bahia. Conforme a lista divulgada pela polícia, Guanambi era atendida na ROTA 1, juntamente com outros municípios, tais como: Palmas de Monte Alto, Sebastião Laranjeiras, Iuiu, Malhada, Carinhanha, Feira da Mata, Riacho de Santana, Bom Jesus da Lapa, Guanambi, Urandi, entre outros. Ainda segundo a polícia, os acusados, todos maiores de idade, foram presos em flagrante delito e levados à delegacia da cidade.

O delegado responsável pelo caso informou que por se tratar de produto destinado ao consumo humano, os denunciados podem pegar de 4 a 10 anos de prisão. A quantidade de bebidas apreendidas não foi informada. O proprietário da fábrica identificado como Márcio Magno de Souza é procurado pela polícia. Ele também era o responsável pelo transporte das bebidas.

Por Vílson Nunes

GOLPE NO TRÁFICO - Polícia Civil incinera cerca de 500 kg de drogas em Conquista


A Polícia Civil, através da equipe da DTE ( Delegacia de Tóxicos e Entorpecentes), destruiu na manhã desta quarta-feira, 28, mediante incineração,  cerca de 500 kg de drogas, distribuídas em centenas de tabletes de cocaína,  maconha e crack, que se encontravam apreendidos na unidade policial e na Vara da Infância e Juventude de Vitória da Conquista.


A  destruição das drogas contou com a  presença do representante do Ministério Público desta Comarca. Todas as apreensões resultaram em inquéritos policiais instaurados na DTE e todos os traficantes identificados estão sendo indiciados pelos crimes descritos, com prisões preventivas representadas à justiça.


Fonte:  DTE - Vitória da Conquista

DESTAQUE

BAHIA - Júri Popular absolve PM por homicídio ocorrido há 17 anos

O sargento da polícia militar do Estado da Bahia Robenes Ramos dos Santos foi absolvido do caso do homicídio de Fábio Pereira Correia oco...

AS 5 + LIDAS